Segunda-feira, 3 de Março de 2008

Mulheres de Angola

O miúdo nas costas, faminto
O sol queimando
O sol assando
O miúdo nas costas, faminto de alimento
As moscas acariciando-o
E o lixo distraindo-o!
 
A zungueira zunga, cansada
Na cabeça, o negócio e o sustento
E nos pés empoeirados
O cansaço dos quilómetros galgados
O cansaço da distância percorrida
A zungueira zunga, o miúdo nas costas faminto!
 
Décio Bettencourt Mateus
in "Os Meus Pés Descalços"
 
Este pequeno excerto do poema de Décio Mateus retrata o “espírito guerreiro” das mulheres angolanas, também conhecidas por Zungueiras. Começo assim o texto desta semana, dedicado a todas as mulheres de Angola, que no passado dia 2 de Março receberam homenagem com a comemoração do Dia da Mulher Angolana… e bem que elas o merecem, são umas autênticas leoas, especialmente as mulheres do pré-guerra. Gordas, magras, altas, baixas, convencem pela conversa transformando um perfume da Avon num perfume Channel. Elas são o embrião do comércio de Angola.
 
Em média têm sete filhos cada uma, há quem diga que este fenómeno se deva ao facto de só cerca de 6% usarem métodos contraceptivos, o certo é que a programação da TPA (Televisão Pública de Angola) também não ajuda a que este número baixe e por outro lado temos o ego masculino que pode ser rejeitado socialmente senão procriar. Enfim, é tudo a ajudar.
 
Longe estão os tempos em que o ganha-pão era responsabilidade só dos homens. Agora a sobrevivência passa a ser uma questão de igualdade, mas onde a mulher carrega tudo: carrega a criança às costas, muitas vezes carrega uma às costas e outra dentro da barriga, carrega as robustas cargas para a venda do dia, carrega o sol na cabeça quando sai e retorna com ele, carrega a ingratidão do marido com os copos, carrega as lamentações das crianças, carrega, carrega, carrega…
 
Carregado de animação também estava o Miami no Domingo à noite. Em noite de derby Sporting-Benfica, muitas eram as camisolas (mais vermelhas que verdes), que assistiam, com olho no burro olho no cigano, quer ao jogo, quer ao espectáculo que decorre todos os domingos à noite. Nós lá estávamos com a nossa Estrela Blue, a Telma, que no fim-de-semana anterior arrebatou o troféu Canta com Blue nas Escolas. É gratificante ver que podemos ajudar a concretizar sonhos de criança. Estou certo que este dia ficará para sempre na memória da Telma e da sua mãe, afinal de contas foi a primeira vez que ela pisou um palco a sério com honras de casa cheia. Minutos antes da Telma actuar fui ter com ela e disse-lhe:
- Telma, é o teu dia, vais conseguir fazer ainda melhor que na final do Canta Com Blue nas Escolas. A Yola Semedo está aí, mostra-lhe como é. Dedica a tua música a ela e à Blue.
- Já tinha pensado nisso e vou também dedicar esta música a todas as mulheres angolanas, disse ela com algum nervosismo.
 
Deu um gozo enorme ver o que ela conseguiu fazer em palco. A segurança com que encarou este desafio, deixa-nos convictos de que poderemos estar perante uma futura estrela da música angolana e que bom foi sentir aquele abraço dela no final, agradecendo a oportunidade que a Blue lhe deu para concretizar o seu sonho. Força Telma, vais longe!
 
Entretanto, esta semana o meu colega açoriano, o André regressou a Portugal quase dois anos depois de ter abraçado este projecto. Agradeço-lhe, não só pela amizade e pelo companheirismo, mas também por todo o trabalho que fez na área da visibilidade das nossas marcas. Quem visita Luanda é obrigado a reparar nas inúmeras placas da Blue que estão espalhas por toda a cidade. Quando as virem já sabem: é obra do André Lima, um castiço que frequentemente se despedia das pessoas ao telefone com a célebre expressão: Beijo no rabo. Obrigado por tudo amigo, eu tomo conta da tua Kiki!
 
Beijinhos e abraços,
 
Conde de Angola
 
 
P.S. Dentro de alguns dias volto a Portugal onde devo ficar uns 10 dias. Vou aproveitar para matar saudades de tudo. Quero muito ver o meu filhão lindo com os primeiros sintomas de acne juvenil. O tempo voa! Daqui para a frente… é viver um dia de cada vez e aproveitar os pequenos momentos que a vida me possa dar…

publicado por Conde de Angola às 21:46
link do post | comentar | favorito
2 comentários:
De vandinha a 7 de Março de 2008 às 16:55
:) eu quero ter 4 filhoos e 3 sao rapazinhos ! quando os tiver, vou me lembrar do que falaste das mulheres angolanas, e vai me dar mais força e vontade de os criar e dar tudo o q eles precisam ;)
Finalmente vens ca, ver a tua afilhada :'')
Para a semana devo começar a tirar a carta, hehehe :D

ADOROTE *
(o Daniel tem pele de bebe, n me lembro de o ver c acne, coitadinho)


De josé dias a 8 de Setembro de 2008 às 10:39
pretendo investir com um colega em angola e ainda estamos com algumas dúvidas em que sector o deveremos fazer. se nos puder ajudar , de certeza que lho agradeceremos. obrigado. josé dias


Comentar post

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Novembro 2010

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

14
15
16
17
18
19
20

21
23
24
25
26
27

28
29
30


Eurico Feliciano

Criar seu atalho

.posts recentes

. Blue Let's Dance Party

. A Vida É Uma Festa!

. Red Cola - Momento Zero

. Road Show Blue 2009

. 457 Dias em Luanda

. O meu pedaço de papel...

. Blue Festival 2009

. Sim, é Natal!

. E lá vão 13... Parabéns D...

. I'm Back

. Férias...

. 31 de Julho, o dia do Con...

. Escrevo porque preciso de...

. Alambamento

. Finalmente África!

. 6 meses já lá vão...

. Portugal num Lusco Fusco....

. Blue Road Show - Lubango

. Team Operativa

. Onde estou?

.links

.arquivos

. Novembro 2010

. Junho 2010

. Maio 2009

. Fevereiro 2009

. Dezembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008